quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Como (eu)


Como ela,
como a vida. 
A como-a,
como ela é.


Costa Rodrigues Filho

2 comentários:

  1. " viva eu,
    viva tu
    viva o rabo do tatu..."kkkk

    ResponderExcluir
  2. Bom eu não sei muito quais são as suas influências. Não estou criticando maldosamente. O assunto do texto é muio bom, mas acho que você poderia ler mais autores como machado de assis, clarice lispector, ligia fagundes teles entre outros. Agora não me recordo muito. mas você tem a veia literaria basta trabalha-la um pouco mais. A literatura está muito próxima da relidade. No seu texto eu não pude sentir muito bem essa veia real. E quanto a verossimilhança não acho que seria possível uma mulher conviver tanto tempo com um homem que não adimira, pelo jeito que você a colocou me parece que ela nunca o amou. E sendo assim ela deveria ter o abandonado a muito mais tempo. valew! abrx

    ResponderExcluir